A10 - Data World

23 jun |

Cientista de dados: 3 tendências que trarão mais agilidade para o cargo

O mercado de Data Analytics tem tido um forte crescimento nos últimos anos. Tanto que cada vez mais empresas buscam cientistas de dados para integrar as suas equipes. 

De acordo com a International Data Corporation (IDC), o mercado de dados e análises atingiu a marca de US$ 203 milhões em 2020 e esses números só tendem a aumentar. 

A crescente demanda do segmento fez com que cientistas de dados se tornassem profissionais extremamente requisitados. Tanto que hoje a profissão é considerada uma das mais promissoras e com altas estimativas de crescimento.

Ao pensar em um cientista de dados, é essencial ter em mente que os números são importantes indicadores dentro de um negócio. Eles que evidenciam se as estratégias em andamento são efetivas ou se as informações passadas entre os setores da empresa são consistentes. 

Assim, um profissional irá coletar, gerenciar e transformar em modelos legíveis uma grande quantidade de dados não estruturados, possibilitando a extração de informações relevantes. 

Nesse sentido, profissionais capazes de analisar essas informações estão em plena ascensão. Tanto que a Comissão Europeia relatou que, até o ano passado, foram criadas cerca de 100 mil novas vagas nesta área no continente. 

No Brasil, uma pesquisa realizada pela Talenses, consultoria de recrutamento especializado, feita em parceria com a Digital House, apurou que o cientista de dados está entre os três profissionais digitais mais procurados no país. 

Atualmente, a faixa salarial desses profissionais é cerca de R$ 6.135,30  e o teto salarial de R$ 14.134,84, podendo variar de acordo com o nível de especialização e serviço desenvolvido por cada pessoa.  

Entretanto, o excesso de vagas não está relacionado apenas à transformação digital pela qual as empresas estão passando. A ausência de mão de obra qualificada é outro importante fator. 

De acordo com o IDC, o mercado global de TI terá um déficit de 570 mil profissionais. Outra pesquisa realizada pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) apontou que, para suprir a demanda, o mercado precisará de 70 mil novos profissionais ao ano até 2024

Então, como driblar as dificuldades do mercado e alcançar um bom emprego como cientista de dados? Fácil! Aposte em capacitação profissional e nas principais tendências do setor

 

3 tendências para analistas de dados 

O mundo digital passa por constantes mudanças, a cada dia surgem inúmeros tipos de plataformas e ferramentas que visam facilitar o trabalho de cientistas de dados. 

 

Estar atento às novidades do setor é um importante diferencial para quem deseja crescer profissionalmente. A seguir destacamos 3 tendências para cientistas de dados ficarem de olho:

Augmented Analytics e Hyper-Automation 

Quanto mais pessoas acessam o amplo universo digital, mais surge a necessidade de plataformas e ferramentas que auxiliam o trabalho com dados e extraem informações relevantes. 

Por isso, é importante atentar-se às mudanças do mercado. Você já ouviu falar da Augmented Analytics ou Hyper-Automation

Ambas são ferramentas de trabalho com dados que ganharam bastante importância no último ano. 

A Augmented Analytics, ou traduzida, Analítica Aumentada, está relacionada à inteligência aumentada. Basicamente, ela pode ser definida como um conjunto de tecnologias que promete dar suporte ao usuário sem necessidade de substituição, servindo apenas como complemento. 

Já a Hiper-Automação, é um sistema com capacidade de automatizar processos que outrora precisavam obrigatoriamente de mão de obra humana. Isso é realizado a partir da combinação entre a Inteligência Artificial e o Machine Learning

 

Ascensão do DataOps

DataOps é uma metodologia e prática que se baseia na estrutura DevOps implementada com frequência no desenvolvimento de software. 

O DataOps trabalha com o fluxo de dados de ponta a ponta em uma organização. Ou seja, ele é capaz de remover obstáculos que limitam a utilidade ou acessibilidade dos dados e implementação de ferramentas. 

Essa evolução do DevOps se tornou uma grande oportunidade para cientistas de dados que buscam projetos mais empolgantes e inovadores. 

 

Explicabilidade de modelos com a LGPD

A atenção à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que entrou em vigor em setembro de 2020, é essencial. Uma das tendências desse ano para cientistas de dados e outros profissionais desse setor é a explicabilidade e interpretabilidade dos modelos que serão usados em produtos com Inteligência Artificial.

Os usuários que terão seus dados usados devem ser avisados de antemão, por exemplo. Por isso, é indispensável que cientistas de dados definam a necessidade e a finalidade da utilização dos dados antes de utilizá-los. 

Atente-se às transformações do mercado 

Citamos apenas três tendências para cientistas de dados ficarem de olho. Porém, quem trabalha com dados sabe que conhecimento nesse segmento nunca é demais. 

Estar atento às mudanças do setor é garantir seu aperfeiçoamento e crescimento profissional. Então, por que não investir nisso?

Procure por cursos, sites e outras formas de especialização para se manter atento à evolução digital. 

Hoje, trouxemos para você um conteúdo especial com habilidade que fazem a diferença na avaliação de dados. Acesse e saiba mais! 

Cientista de dados.

 

]